quinta-feira, 15 de março de 2012

Será que eu sou o único que prefere Majoras Mask que Ocarina of Time?

A franquia de The Legend of Zelda, junto com Mario e Sonic, é uma das mais famosas e conhecidas do mundo dos videogames. Skyward Sword, o mais recente título lançado chegou aí para colocar uma ordem cronológica na série que até então era um "zona". Além disso, o game foi super bem recebido e concorreu ao trófeu de Melhores do Ano, mas infelizmente perdeu *cof, cof" injustiça *cof, cof*.

Mas eu não estou aqui pra discutir conceitos filosóficos da minha indignação pelo jogo não ter ganho. Talvez eu faça um post sobre isso depois, mas agora quero falar de uma outra indignação minha: Porque ninguém se lembra de Majora's Mask quando se fala em Zelda para Nintendo 64?
É claro, todos se lembram do revolucionário, do incrível, do arrasador, do majestoso, do perfeito, do emocionante, do impactante, do divertido, do nostálgico, do extraordinário, (chega!) do magnífico, (ta bom, chega!!) do inigualável (CHEGA, C@R@LHO!!!) e do estrondoso The Legend of Zelda: Ocarina of Time. Mas o que faz esse game ser tão inesquecível? Para iníco de conversa, vamos começar pelo começo.

Com a explosão dos gráficos 3D poligonais da era do Nintendo 64 e PlayStation, era evidente que assim como Mario e Donkey Kong, a franquia de Link ganharia uma releitura. Esse foi o primeiro jogo da série visto em 3ª pessoa, e causou um enorme baque, uma enorme onde de excitação de velhos e novos jogadores na frente das TVs com seus nostálgicos N64, que só pelo fato de se ver Link em gráficos poligonais (top na época) já valia o preço de 3 x de R$ 66,31. Esse preço salgado era o quanto custava um lançamento na época, e tem gente que ainda reclama do preço de jogos hoje em dia... Bem, continua sendo uma exploração, mas antes, era uma assalto!

E depois do gigantesco sucesso e o lucro que o game gerou, um gostinho de quero mais ficou no ar! E eis que The Legend of Zelda: Majora's Mask chegou para preencher esse espaço. Fez sucesso? Fez. Gerou fãs no mundo inteiro? Gerou. Recebeu boas críticas? Recebeu. MAS tudo isso em dose bem menor que a do seu antecessor. Porque as pessoas veneram tanto Ocarina of Time? O que ele tem que Majora's Mask não tem? O QUE?
Hoje, mais ou menos 14 anos depois, vemos que a série conquistou muito mais fãs, e vemos que novos jogadores podem ter agora a oportunidade de reviver os clássicos games da franquia do passado nas plataformas da Nintendo atuais. Um remake de Ocarina foi feito, Minish Cap (excelente jogo, diga-se de passagem) está no Nintendo Embaixadores de graça... Mas e Majora's Mask? Está certo que o jogo foi lançado no Virtual Console do Wii, mas porque não lançá-lo no 3DS? Tenho que confessar que meu sonho é ver o game passando na telinha do portátil.
Agora eu vou esquecer Ocarina of Time, e falar só do meu queridinho, Majora's Mask. Em primeiro lugar: esse é o jogo mais triste, melancólico, e com a trilha sonora mais diversificada que já vi! Não fosse Silent Hill e Resident Evil eu diria que é o mais assustador também, porque aquele Skull Kid me da arrepios até hoje. Bem, a história do jogo não é a maaaaais elaborada da série, mas não chega a ser fraca. Longe, muito longe disso. No entanto, o enredo chega a ser no máximo inteligente. Sem delongas, a história pra vocês:

Passado 3 meses após os acontecimentos de Ocarina of Time, Link parte em busca da fada Navi, que desapareceu no final de Ocarina of Time. Durante o caminho, é atacado pelo misterioso Skull Kid, que utilizava a Máscara de Majora e era acompanhado por suas fadas, Tael e Tatl. Skull Kid rouba a Ocarina do Tempo e a égua de Link, Epona. Link o persegue até o buraco de uma árvore e acaba atravessando uma passagem dimensional que o leva para um mundo paralelo chamado Termina.
Ao acordar ele encontra Skull Kid numa câmara e é transformado num Deku Scrub (um ser em forma de planta). Skull Kid e Tael fogem, deixando Tatl para trás. Desiludida e sentindo-se traída, a fada resolve se juntar a Link e ajudá-lo em sua jornada para recuperar sua forma original e seus pertences roubados.
Seguindo adiante, Link vai parar dentro da torre do relógio da cidade de Clock Town. Ele encontra um misterioso vendedor de máscaras que lhe pede ajuda para recuperar a Máscara de Majora. Caso a máscara não fosse recuperada, as consequências poderiam ser catastróficas. Link então descobre que com os poderes malignos da máscara, Skull Kid fez sua maior travessura: tirou a lua de sua órbita original. Caso nada seja feito, a lua colidirá com a Terra e o mundo acaba em 72 horas.
Após recuperar sua Ocarina (e sua forma original), Link tem de viajar no tempo por esse período de 3 dias até conseguir habilidades suficientes para enfrentar Skull Kid e a poderosa Máscara de Majora. Para enfrentá-la, ele precisa libertar os quatro espíritos guardiões gigantes, para que possam impedir a queda da lua. Os guardiões estão aprisionados em 4 templos, ao longo das quatro direções de Termina: Norte, Sul, Leste e Oeste. Mais para frente, Link enfrenta os serviçais do demônio da máscara Majora, que estão guardando os espíritos dos 4 gigantes guardiões de Termina, que são eles: Odolwa, Goth, Gyorg e Twinmold.
No final Link desperta os gigantes com a canção OATH TO ORDER (recebida por Link para invocar eles quando todos fossem libertos), então eles aparecem evitando a queda da lua.
Link os havia chamado na torre de Clock Town, e todos esses acontecimentos acontecem lá, Link fica sabendo que Skull Kid estava sendo possuído pela máscara, logo após isso, a máscara foge para o interior da lua, com Link a seguindo.
Lá, Link se depara com um mundo ilusório parecendo muito um paraíso, lá ele encontra as máscaras de chefes derrotados, refletindo o seu dono (no caso o vendedor de máscaras).
Então, Link finalmente é desafiado por um desses espíritos detentor da máscara chefe. Link enfrenta o demônio Majora em suas formas: Majora's Mask (Máscara de Majora), Majora's incarnation (Encarnação de Majora) e por fim sua forma final Majora's Wrath (Ira Majora).
Derrotado Majora, a maldição da máscara desaparece e a lua volta a sua órbita original dando um novo dia de vida a Termina, com Link possivelmente voltando a sua pacífica Hyrule. Sabe-se que Mikau, Darmani e o Deku reencarnam no final.
Para salvar Termina, Link também conta com canções especiais que podem dar paz às almas atormentadas, prendendo-as em máscaras de transformação. Link pode assumir então o corpo do espírito que foi preso na máscara em 3 formas diferentes, sendo um Deku Scrub, um Goron (raça de seres com o corpo feito de pedra) e um Zora (raça de humanos-peixe). E outra coisa Link pode fazer uso da Fiercy Deity (é necessário as 20 máscaras de não-transformação para tal coisa) tornando Link em um deus das trevas(conhecido como Oni Link ou Link Endemoniado) a serviço do bem, muito mais poderoso do que o próprio Majora e dos seus subordinados nos templos de Termina. Porém essa máscara só pode ser utilizada contra os chefes dos templos e contra o próprio Majora (se for observado bem esse deus é o Link adulto de Ocarina Of Time, com a mesma voz, só com algumas alterações no visual).
Vários personagens do jogo anterior (Ocarina of Time) são encontrados por toda a Termina, mas foi revelado que Termina é um universo paralelo a Hyrule. Apenas Link, Skull Kid e o Vendedor de Máscaras são os mesmos nos dois jogos.
Bem, amigos, se vocês não queriam saber o fim do game, era melhor não ter lido o trecho anterior, porque contém spoilers... Sabe porque eu não contei antes? "Aaaaai como eu sou bandioo!". Agora parando com a brincadeira fora de hora...
Acho que o que mais me impressiona em Majora's Mask, é essa atmosfera meio que triste que envolve o jogo inteiro. E o mais incrível, é que essa tristeza que é passada de uma forma tão eficiente não foi planejada de propósito. Acho também que é por isso que eu gosto mais desse jogo do que do seu antecessor, diferente de praticamente todo o resto da comunidade gamer. Sempre me liguei mais no exterior do jogo. Não sou aquele cara que fica viciado o jogo, e só quer saber de jogá-lo. Quando eu vicio em um jogo, eu pesquiso na internet sobre ele, leio artigos, e em Majora's, parece que vem uma estimulação maior em fazer isso, talvez para mim tentar entender porque esse clima tão triste, que é justamente o contrário do seu antecessor. Boatos na internet contam que há uma Crepypasta bem sinistra desse jogo, e futuramente postarei-a aqui.

Majora só não alcançou a mesma glória de Ocarina pelo simples fato e pelo simples "azar" de ter vindo ao mundo... depois de Ocarina. Se fosse ao contrário, tenho certeza que Ocarina é que seria o "rejeitado". O povo baba ovo do primeiro game simplesmente pela revolução que ele causou. Minha opinião, sorry se é diferente da sua.

Até a próxima, e até lá:

Tingle, Tingle Kooloo-Limpah!

Nenhum comentário:

Postar um comentário