sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Sobre emuladores

Aqui estamos diante de um assunto polêmico. Se você nunca usou, é claro que já ficou tentado a usar. E se não usou, com certeza você é um daqueles que diz: "Isso é pirataria. Eu não uso pirataria. Não uso pirata porque isso enfraquece o comércio gamer e blá-blá-blá". Sim, estou falando de Emuladores, e, meus caros amigos, quem disse que usar roms é crime? De acordo com a lei no Brasil, "a única forma de uma ROM ser legal, é a lei que existe de software que fala sobre 'cópia de salva-guarda', ou seja, ter o jogo (comprado legalmente) e possuir a ROM no computador como Backup do jogo original. Algumas produtoras de jogos, como a Nintendo, colocam em seu contrato de uso que o jogo não poderá ter uma cópia de backup, pois segundo ela, esta ação não é necessária, mas como nossa lei no Brasil permite este tipo de cópia, este termo do contrato não é aplicado".

No entanto, é muito difícil conhecer alguém tão politicamente correto a ponto de apenas comprar jogos originais, para só assim poder utilizar suas roms. Isso, ainda mais em um país como o Brasil é praticamente impossível de se encontrar. Políticos roubam merenda infantis, ladrões assaltam bancos, traficantes traficam drogas... e a lei vem encrencar logo conosco, gamers? NOPS, não pra mim. Admito que tenho no meu computador diversas roms, diversos emuladores de diversas plataformas, e sinceramente, não consigo enxergar o porque tantos dizem que uma empresa fica em prejuízo com as roms.

Explico meu pontos de vista: Super Nintendo. Década saudosa e nostálgica dos anos 1990, cuja a qual só pude, infelizmente, viver seus últimos anos. A Nintendo, com certeza, já parou de produzir seu console, e assim, não fabrica, nem vende mais nenhum jogo para essa plataforma, assim como outras, como Capcom, Hudson, Rare, e tantas outras. Então porque diabos o download da rom de uma plataforma dessas, que nem está  mias em atividade daria prejuízo a empresa? Assim como no caso do Nintendo 64, e ainda o mais nostálgico NES. Sou, no entanto, obrigado a concordar que o uso de roms para consoles da geração atual, como PS3, ou XBOX enfraquecem e muito o comercio de games.

Estes sim, eu admito. É uma puta de uma sacanagem piratear quaisquer dos jogos de um desses consoles, mas daqui há dez anos, quando estes forem superados por novos consoles hiper blástico das trevas matador de vadias versão 9875648, passaram a ser considerados "Retrô" assim como o Nintendo DS já está quase sendo, sobrevivendo por pouco de Pokémon, e assim como o Wii será em meses (talvez mais). Quando esta ficha de "Retrô" cair sobre os consoles, e quando games pararem de ser lançados a eles, e suas respectivas empresas Sony e Microssoft pararem de fabricá-los, poderemos perfeitamente usar as roms desses videogames, pois assim como o Super Nintendo, a empresa não estaria nem ganhando, nem perdendo nada com nossa diversão. Não sei se você consegue me entender, mas este é meu ponto de vista. Não sou a favor da pirataria, pelo contrário, até reconheço o esforço que as empresas tem, e o duro que dão, e quanto investem para produzir um game, para, em um camelô este mesmo ser vendido a R$10,00, sendo que deste, a empresa não fatura nem sequer um real, mas também reconheço que a empresa não tem nada a perder se estivermos falando de consoles retrô onde as linha já não são mais fabricados, e nem jogos novos desenvolvidos.

Outro ponto, no entanro a ressaltar é: se Hollywood, e suas empresas multi-milionárias desenvolvem filmes novos a cada mês, sendo que as super produções de ação, alá 007, com explosões magnificas  efeitos sonoros de última geração, efeitos 3D, e ainda marketing do filme, atores, diretores e etc. gastam cerca de bilhões de dólares, e seus filmes originais são vendidos á R$40,00~R$50,00, ou alugados a em média R2,00~R$5,00 em locadoras, porque os games, cujo os quais uma produtora gasta no máximo vinte milhões de dólares para produzir, são vendidos a preços tão caros no Brasil, se comparados aos filmes?

Lançamentos passam de R$199,00, mas devo acrescentar em defesa que parte disso é o maldito imposto. E sabe quem é o culpado por isso? Mais uma vez o governo. Eles sim, são os verdadeiros culpados por tantos camelôs, por tanta pirataria, por tantas roms, emuladores, downloads ilegais... por tudo isso! E eles, hahá, meus amigos, eles é que lucram, enquanto a gente só perde.


Brasil pirata: para refletir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário